sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Não sei o quê

Sabe quando brota um vazio dentro da gente e não conseguimos saber de onde vem? Várias coisas vêm na cabeça, é um vai-e-volta confuso, mas nenhum desses pensamentos justifica o sentimento. Não é que o mundo seja injusto, mas nós mesmos - e consigo mesmo. 
Bate a vontade de ficar de sozinha, isolada... quando se está no meio de gente. Melancolia. Surge uma dó de si mesma. Vontade de chamar a atenção. Mas orgulho demais para admitir isso.  
Muita confusão na cabeça, "poréns" duelando e aquele choro contido por não saber exatamente o que querer e o que pensar.
A chance esboça um retorno, mas a incerteza se equilibra para não cair. É querer estar, mas não saber como. Nem quando. Nem nada. 
Espasmos cerebrais relembrando momentos que fizeram desistir e uma espécie de "mea culpa" interna... um "não sei o quê". É assim que me sinto: confusa por não saber o que faz o estômago revirar lentamente e o nó na garganta apertando a ansiedade. 

3 comentários:

Poliana disse...

Interessante.
Como esta madrugada estou me sentindo "meio mussarela, meio calabresa" resolvi entrar no blog para espairecer.
Lendo o blog me sinto menos esquisito, ou pelo menos um esquisito menos solitário. Rsss
Estou aqui perto das 02h00, numa balada com mais de 1000 pessoas (trabalhando), pensando como diria minha mãe: "na morte da bezerra.
De qualquer forma ė reconfortante saber que outras pessoas também partilham de sentimentos inquietantes.
O que me leva a acessar este blog é justamente esta coisa meio doida de questionamentos em todos os sentidos.

Poliana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Garota no hall disse...

Poxa, agradeço os comentários. O post foi escrito exatamente num momento em que eu estava rodeada por pessoas, mas queria atenção para o que estava sentindo, queria compartilhar com alguém. Optei pelo blog, pois assim não precisaria dar muita explicação sobre o que me levou a sentir assim.